20 de fev de 2008

Sex, love and rock n' roll

Amor e sexo sempre andaram lado a lado. Isso é o que diria a minha avó se ela estivesse postando nesse blog. Mas se um dia eles andaram interligados, hoje quando unidos, não passa de mera coincidência. Não falo por mim, ate porque continuo tão virgem quanto as grandes regiões cobertas de Araucária, mas porque (vamos combinar né!?) tá na cara! Não tenho nada contra quem transa sem estar apaixonado. Deixei de ter pensamentos preconceituosos há muito tempo, e acho que se duas pessoas estão se desejando, e acabam não resistindo ou nem fazem questão disso, o problema é único e exclusivamente deles. Mas dependendo da forma com que se aproximam e estabelecem essa relação de sexo e prazer, acabam se esquecendo que a paixão, na maioria das vezes, acaba antes mesmo do que se espera. É possível que se apaixonem e passem a se amar loucamente, mas acho que quando o fogo no "tacho" se apaga, não sobra nem as cinzas desse sentimento. Deve ser bom. Isso vai da cabeça e dos valores de cada um; mas eu não trocaria uma relação estável com sexo, amor e rock n' roll por uma paixão intensa, porem curta demais pro meu gosto.

Um comentário:

Daniel disse...

concordo moça... mas anda tão dificil ter relacionamento estável que a opção mais fácil é ir pra pegação desenfreada.
Nada contra e nada a favor quem segue essa linha, só que acho que essas pessoas acostumam com a ausencia de relações duradouras e acabarão se tornando tiozinhos (as) que moram só em um kitinete