9 de dez de 2007

Amor, ódio e essa dúvida

Estou louca.
Completamente insana, demente.
Uma doida varrida.
Um sinal de que sou eu mesma.
Confesso que às vezes não entendo as pessoas,
aqui e ali.
Todas loucas.
Eu ainda mais louca,preciso muito entender
a mim mesma.
Um sentimento. Ódio.
Que me faz pensar em levantar e parti,
mas eu fico,fica o ódio.
Afinal não queria pensar mais nisso.
Mas eu sinto ódio de mim mesma por não
sentir o ódio de antes.
Aquele ódio que me deixava sob controle,
eu reagia e sabia como.
Agora,talvez,amor. Não.
O vento bate na minha janela,eu quero sair lá fora.
A noite é remédio para os insanos.
É remédio para mim.
Não.Eu sei que faço por merecer tudo isso.
Mas não minto,omito,não minto,nunca.
Talvez.
Que noite linda,propicia para o amor,mas não.
O que te fez pensar que meu ódio por você poderia
acabar assim?
O que te fez pensar,estava tão certo. Não.
Quero mesmo me entender,entender tudo que está aqui.
É tão forte mas eu não sei traduzir nada,molestada mesmo.
Ou não.
Doenças terriveis essas que afetam a alma.
A alma,o coração.
Queria voltar no tempo,uma hora bastaria.
Irritada e completamente transtornada,amando você. Não.
Te odeio, ainda.

Nenhum comentário: