29 de nov de 2007

O que você vai ser quando crescer?

Ah, essa pergunta me matava sempre. Mas antes de morrer tudo o que eu mais queria era torcer o pescoço de quem me fazia essa interrogação. Pô, na época eu não sabia nem quem eu era, como ia saber o que ia ser quando crescer? Pode até parecer neurótico da minha parte isso, mas era como se colocassem pressão sobre mim e me fizessem esquecer das brincadeiras infantis, pra pensar no futuro. E no caso, esse futuro era ser uma mulher adulta, decidida, com emprego, vida cheia, cabeça cheia, estresse a mil...

O bom, era que na minha cabeça, embora bastante oca, todas essas coisas que citei no parágrafo acima, não importavam nenhum pouco e eu só queria saber de brincar o dia todo. É, eu até tive uma boa infância, mesmo que mamãe falasse que eu era uma garotinha da cidade, que não sabia o que era diversão de verdade. Mas ai já é outra história que outro dia eu falo...

O fato é que hoje, com 16 anos eu ainda não sei o que eu quero ser. Não é vergonhoso não tá? Eu até penso em muitas possibilidades, penso em ser jornalista, penso em ser cantora (qqq), penso em tanta coisa. Mas saber, é ter certeza. E certeza eu não tenho de quase nada nessa minha vida. Por isso, enquanto o futuro chato que eu imaginei na minha infância não chega, eu vou tocando o ensino médio devagar, quase parando, porque quero chegar na maior idade com energia e força total.

Ahhh! E pra não dizer que eu não sei o que eu quero ser... Eu quero ser uma influente bêbada. Pronto!

Um comentário:

Daniel disse...

"influente bêbada"
akakakaakakaakakaakaak

treine bastante então nos agitos das sua cidade ae