19 de out de 2007

Amar, odiar, tirar leite da vaca...

Dizem por ai que o amor e o ódio caminham lado a lado. Pra falar a verdade nunca entendi direito essa histórinha, mas sempre concordei que ambos são sentimentos parecidíssimos. Porque parecidos? E porque o superlativo? Eu explico...

Não vou falar em terceira pessoa porque nunca ninguém me descreveu com detalhes o que é o amor ou o que significa odiar alguém. Vou falar sobre as minhas próprias experiências nesses 16 anos de vida, ou pelo menos as que me forem possíveis recordar.

Sabe aquela conversa de "meu primeiro amor"? Claro, passei por essa fase que mesmo sendo uma das passagens mais bonitas da adolescência, conseguiu em alguns momentos me fazer pensar se a vida realmente valia a pena, ou se era tudo uma grande furada. Ora, então odiei a vida enquanto descobria o meu primeiro amor? Talvez. Mas o que quero mostrar aqui é o quanto esses dois sentimentos são parecidos e não o quanto andam lado a lado.

Mas o fato é que mesmo amando muito alguém, querendo ver, querendo tocar, ouvir a voz, saber se esta tudo bem e fazer de tudo para ver o alguém sorrir, mesmo cintilando os olhos ao falar nesse alguém, mesmo sonhando todas as noites que as coisas vão acontecer como num continho de fadas, é possível sim odiar com força total.

Quando odiei alguém (Deus me perdoe por isso) queria ver a pessoa por não confiar no que estaria fazendo nas minhas costas, queria tocar (bater), queria ouvir a voz (pra poder retrucar, discutir e levar a melhor), queria saber o que e o porquê de tudo.

Eu sei, esse papo tá bem confuso. Talvez essa minha teoria não se encaixe totalmente na comparação do sentimento amor com o ódio, mas sim nas conseqüências de amar e de odiar. É bem complicado falar sobre essas coisas, mas senti uma necessidade de tentar ao menos entender esse lado obscuro do amor, que pode até ser o ódio e seus derivados.

O que me fez postar esse texto maluco? Não sei. Na verdade não sei nem como consegui terminar essas linhas. Esta tudo tão confuso...

Mas sabe, eu amo escrever loucuras. Odeio ser louca.

2 comentários:

André disse...

Bru, cada dia que passa vejo, no seu jeito de escrever, algo único. Você escreve com o coração, e isso é muito legal. Tenho a sensação de que um dia tu escreverá um livro, e, se isso acontecer, certeza que será um best seller! Beijos guria!

Aline disse...

brunaaa coisa mais linda...
vc escreve tão bem!!
amor e ódio?
sei lá... podem ser uma moeda? tem dois lados né rsss
bjaoo