22 de out de 2007

21/10/07

Sempre preferi filmes estrangeiros, legendados e com musicas em inglês. Nunca me envergonhei ao dizer "Sou uma brasileira não praticante", e por mais elogiados que fossem filmes nacionais com Toni Ramos, Fernanda Montenegro e Lázaro Ramos, o meu interesse em assistir simplesmente não despertava.

Assisti poucos. Odiei vários...

Mas nessa tarde, tive de me render. Mesmo achando modinhas uma grande hipocrisia, e concordando que Tropa de Elite se tornou uma delas, já que só se fala nesse filme, só se ouve aquele funk e só se baixa Tihuana, confesso que ESTOU APAIXONADA PELO WAGNER MOURA. Haha, estou mesmo e vou sonhar com ele usando aquela roupa preta da BOPE, atirando para todos os lados e olhando atentamente ao redor em busca dos fogueteiros.

Agora eu acho que nunca é tarde pra reconhecer que nas nossas fronteiras existem sim pessoas competentes para realizar um trabalho tão impecável como foi essa produção, e que o cinema nacional pode trazer de volta o patriotismo, a esperança e a consciência da cruel realidade que temos de enfrentar. Consciência, e sede de justiça. Porque a arte ensina, convida, ajuda e revela muitas coisas...

Então, amanhã eu faço a modinha render na escola; afinal hoje valeu muito a pena ter saído de casa.

Um comentário:

André disse...

Realmente esse filme é impagável! Salvou o domingão.

Beijos Bru!