1 de nov de 2008

Amizade e Cumplicidade

Quando paro pra pensar nas vezes que me sacrifiquei pelos meus amigos, vejo que sou como Nayara, amiga de Eloá . Nenhuma amiga minha foi seqüestrada e espero que jamais aconteça. Mas quando perguntada se valia à pena qualquer sacrifício por uma amizade, respondi que sim. Claro que, diante dessa resposta, mil contestações apareceram e eu tive que explicar o porquê, como vou fazer agora. Sabe aquelas horas que o mundo conspira e só uma pessoa é capaz de te colocar pra cima? Quando a gente tem a certeza de que naquela pessoa podemos confiar desabafos, segredos, e anseios? Então, são nessas horas que a gente percebe (nem todos se dão conta, mas deveriam) o que é uma verdadeira amizade. Mas além disso, demonstrações de afeto e lealdade também são fundamentais. Hoje em dia é tão simples “tirar o seu da reta” e fingir que não é você, que poucas pessoas se vêem arriscando a própria pele, para tentar no mínimo, ajudar aqueles que chamamos de amigo. Por isso tantas pessoas julgaram a decisão de Nayara, que voltou para o cativeiro onde estava a amiga. Não estou aqui pra fazer um balanço do que elas viveram juntas, mas cada um sabe daquilo que é importante para si. Só acho que o amor ao próximo está sendo confundido com insensatez, negligencia. E enquanto ainda existirem discussões como essa, os amigos de verdade continuaram cada vez mais difíceis de serem encontrados.